Eduardo é um vocacionado. Ele considera que política é missão, a forma mais eficiente que dispõe para contribuir com a sociedade. “A política quando bem feita dá escala, consegue interferir para melhorar a vida de muita gente e é isso que me fascina nela”, costuma dizer. Com 33 anos, esse jovem que vem do Sul do Estado, de Pelotas, onde nasceu, estudou, foi secretário municipal, vereador, presidente da Câmara e prefeito, tem muita experiência na bagagem. Eduardo não é um político convencional, desses que estamos acostumados a reprovar. Ele preparou-se para fazer a diferença. Formado em Direito pela Universidade Federal de Pelotas, cursa atuamente o mestrado em Gestão Pública na Fundação Getúlio Vargas (FGV), área que também estudou na Columbia University, dos Estados Unidos. Sua gestão à frente da prefeitura de Pelotas terminou aprovada por 87% da população. Apontado pela revista Americas Quarterly, de Nova Iorque, como um dos cinco políticos mais promissores da América Latina com menos de quarenta anos, Eduardo foi também um dos onze jovens líderes brasileiros escolhidos para um encontro em São Paulo com o ex-presidente norte-americano Barak Obama em 2017 para falar sobre as ferramentas que podem melhorar a vida de comunidades no mundo. A trajetória de vida de Eduardo é a prova de que ele é um cidadão diferenciado e que faz parte de uma nova safra de políticos, transparente e com o compromisso de fazer do Rio Grande do Sul uma sociedade melhor, mais justa e promissora para todos os gaúchos.